Cidade

Santa Maria é o terceiro município do Estado com a maior produção de noz-pecan. Por isso, sediará, pela primeira vez, a Abertura Oficial da Colheita da Noz-Pecan. A 5ª edição do evento ocorrerá em 14 de abril, na Fazenda Santa Leocádia, no distrito de Santa Flora, localizada a mais de 40 quilômetros do centro de Santa Maria. O evento é uma realização do Governo do Estado do Rio Grande do Sul, por meio da Secretaria Estadual da Agricultura, Pecuária, Produção Sustentável e Irrigação (SEAPI), da Prefeitura de Santa Maria e do Instituto Brasileiro de Pecanicultura (IBPecan), tendo a participação da Emater/RS Ascar.

A programação vai contar com uma solenidade oficial, que terá a presença de autoridades estaduais, municipais e representantes de toda a cadeia produtiva do setor. Ao meio-dia, haverá almoço gastronômico com pratos salgados e doces com nozes para os convidados inscritos e com presença confirmada. As atividades seguem até as 17h (confira a programação completa mais abaixo), com degustações, estações técnicas e apresentações sobre o plantio e sobre a colheita da noz. O objetivo da iniciativa é que o Município alcance mais visibilidade por meio da cadeia produtiva da nogueira-pecã e do desenvolvimento da cultura na região de Santa Maria. No ano passado, a abertura da colheita no Estado foi sediada em Encruzilhada do Sul.

“Com a escolha de Santa Maria para a Abertura da Colheita de 2023, é uma boa oportunidade para identificarmos ainda mais os produtores locais. O mercado de pecans de qualidade é imenso. Estamos falando de frutas boas, pois os consumidores que buscam produtos saudáveis sabem diferenciar pela qualidade. Os produtos naturais são uma forte tendência alimentar, substituindo os alimentos processados, refinados e industrializados. Aqui na Fazenda Santa Leocádia, o plantio de árvores nogueira teve início em 2011. Atualmente, há mais de 20 mil árvores plantadas em 120 hectares, dos quais, 80 produtivos e 50 em início de produção. Após quase 10 anos, as árvores começaram a dar frutos, e isso possibilitou que conseguíssemos exportar para a Tailândia, a Alemanha e o Líbano”, explica o produtor rural Eduardo Klumb, um dos proprietários da fazenda que sediará a Abertura Oficial da Colheita e gestor da Agroindústria Santa Leocádia.

O produto tem potencial de exportação e de avançar no mercado interno e, também, de integrar a atividade no setor do turismo rural. De acordo com o IBPecan, a projeção da safra 2023 é de aproximadamente 7 mil toneladas de pecans em 6 mil hectares plantados. Ou seja, um aumento de 55% em relação ao ano passado, período de baixa produção devido à alternância natural da nogueira-pecã (também chamado de ano off) e à seca, quando foram colhidas em torno de 4,5 mil toneladas em 5.333 hectares. A marca histórica alcançada até então foi em 2019, quando foram colhidas 4 mil toneladas da fruta.

O Rio Grande do Sul é o maior produtor de pecan no Brasil, respondendo por mais de 70% da produção nacional. Também abriga 90% das indústrias processadoras desse tipo de noz no país. A maior concentração da pecanicultura ocorre na Depressão Central e no Vale do Taquari. Os 10 maiores produtores são os seguintes: Cachoeira do Sul, Anta Gorda, Santa Maria, Sananduva, Taquari, Rio Pardo, Canguçu, Garruchos, Catuípe e General Câmara.

Sobre a noz-pecan

A origem das nozes é a região da Pérsia, mas, logo elas se espalharam pela Ásia e pela Europa, virando uma sensação em preparos de doces e salgados. Elas são oleaginosas da mesma família da castanha-de-caju e da avelã, por exemplo, trazendo vários pontos positivos para a saúde – além de um sabor incrível. Já a nogueira-pecã é originária do Sul dos Estados Unidos, onde pode ser encontrada em estado nativo. No Brasil, foi introduzida por volta de 1910.

O plantio da árvore é melhor no início da primavera. A colheita vai de abril a junho de cada ano. Para produzir frutos saudáveis, a nogueira requer alguns cuidados, ou seja, 90% dos resultados vêm da água, da irrigação, do sol, das podas anuais, dos nutrientes e dos cuidados com parasitas. A noz-pecan é fonte de minerais, como magnésio e fósforo, importantes para a saúde óssea e dental, e zinco, essencial para o sistema de defesa do corpo. O alimento é rico em antioxidantes, a exemplo do selênio.

A noz-pecan é um fruto que cresce em árvores verdes e exuberantes. Ela serve para tratar e prevenir diversas condições de saúde, além de ser uma fonte de nutrientes e gorduras saudáveis ao organismo. Por ter um sabor amanteigado, é um ingrediente comum em aperitivos, sobremesas e pratos principais.

5ª ABERTURA OFICIAL DA COLHEITA DA NOZ-PECAN

PROGRAMAÇÃO

– Quando: 14 de abril (sexta-feira)

– Onde: Fazenda Santa Leocádia, Estrada Geral de Santa Flora, 404, distrito de Santa Flora, em Santa Maria (RS)

– 8h: recepção e cadastro dos convidados

– Das 9h às 11h: apresentação sobre o panorama da noz-pecan no país, riqueza nutricional da fruta e a diversidade gastronômica da pecan:

– Eduardo Basso, presidente do IBPecan, sobre mercados e exportação;

– Carlos Martins, da Embrapa, uma referência em pecan no Brasil;

– Chef Pepi, chef do almoço gastronômico para os convidados, falando da versatilidade da pecan na alimentação

– 11h: abertura oficial da 5ª Colheita da Noz-Pecan

– Do meio-dia às 14h: almoço gastronômico para convidados

– Das 14h às 16h30min: quatro estações técnicas, com apoio e suporte da Emater, sobre a cultura da pecan e exposição de empresas e instituições que fazem parte da cadeia produtiva. São elas:

– Estação bioinsumos: novos produtos biológicos e suas características;

– Estação tecnologia de aplicação: pulverizadores e atomizadores;

– Estação irrigação: sistemas de irrigação e suas características;

– Estação associativismo: fortalecimento da cadeia produtiva

– 17h: encerramento das atividades

Fonte: Secretaria Extraordinária de Comunicação/PMSM

Foto: Ariéli Ziegler/PMSM