A chuva, que chegou em Santa Maria na madrugada e continuou em alguns períodos desta terça-feira (3), ainda é insuficiente para conter a estiagem. A situação da falta de água potável segue sendo monitorada no Município, principalmente nas comunidades do Interior. Desde o início de dezembro de 2021 até está terça-feira (4), já são 57 pontos de abastecimento de água potável, sendo em nove distritos e em quatro bairros do Município (lista completa abaixo). Para atualizar números de pessoas e famílias atingidas pela escassez de água e traçar metas para as futuras ações, a Defesa Civil apresentou um diagnóstico ao grupo de trabalho que acompanha a situação da estiagem, em uma reunião que ocorreu na tarde desta terça, no Centro Integrado de Operações de Segurança Pública (Ciosp).

“Seguimos com o plano de ação traçado, que é primordial, atendendo às necessidades das famílias atingidas pela estiagem. As previsões meteorológicas apontam que teremos déficit hídrico nos próximos meses. Diante disso, estamos vendo a possibilidade de realizar um trabalho a longo prazo, para minimizar os danos às famílias e também nas propriedades. Vamos superar mais este momento e tirar lições importantes para o futuro”, destacou o vice-prefeito, Rodrigo Decimo.

O chefe de Gabinete do Prefeito, Alexandre Lima, apresentou o relatório com o diagnóstico atualizado até esta terça e reforçou que a preocupação atual é manter o atendimento às comunidades mais vulneráveis.

“Desde maio do ano passado, é feito um diagnóstico de campo entre o Instituto de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater) e a Defesa Civil do Município, sobre as necessidades e os apontamentos para soluções a serem implantadas de imediato. Já traçamos um plano de ação para minimizar os efeitos da estiagem, através de ações que possam beneficiar as comunidades a médio e longo prazos. Porém, ainda necessitamos buscar recursos, solicitar emendas a deputados, para o Ministério da Agricultura, para colocar em prática algumas melhorias, como a abertura de poços artesianos, novos açudes, implantação de cisternas, por exemplo”, ressaltou Lima.

Na oportunidade, o secretário de Desenvolvimento Rural, Rodrigo Menna Barreto, também pontuou ações previstas para amenizar a falta de água e que podem ser colocadas em prática.

“Uma equipe técnica da Secretaria iniciou estudos e projetos e já constatou a necessidade da construção de pequenos reservatórios, bebedouros para animais, abertura de açudes respeitando normas e atendendo a requisitos de licença ambiental. Enquanto aguardamos os trâmites burocráticos se concretizarem, a prioridade é manter o trabalho da Defesa Civil e levar água para atender as comunidades do Interior”, lembrou Menna Barreto.

A reunião também contou com a participação de representantes das secretarias de Desenvolvimento Rural, Desenvolvimento Social, Gestão e Modernização Administrativa, Finanças, Infraestrutura e Serviços Públicos, Saúde e da Secretaria Extraordinária de Comunicação, da Companhia Riograndense de Saneamento (Corsan), do Instituto de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater), da Defesa Civil do Rio Grande do Sul e de Santa Maria, do VigiAgua e do Núcleo de Estudo de Eventos Meteorológicos Extremos e Mudanças Climáticas (Nemec) da UFSM.

ENTREGA DE ÁGUA

Para amenizar a falta de água no Interior do Município, durante todo o ano de 2021 e até esta terça-feira (4), a Defesa Civil já realizou a entrega de mais de 2,1 milhões de litros de água nos distritos de Santa Maria e em bairros da cidade (confira mais abaixo os locais e o número de famílias beneficiadas). Só nesta segunda-feira (3), a Defesa Civil entregou 31 mil litros de água potável, sendo nos distritos de Passo do Verde, Santo Antão e no Bairro Campestre do Menino Deus. Nesta terça, houve a distribuição de 13 mil litros de água no distrito de São Valentim. Já para esta quarta-feira (5), está prevista a entrega de água potável nos distritos de Palma e Arroio Grande (Quilombolas) e no Bairro Camobi (Costa da Montanha).

Locais de distribuição de água

Atualização, do início de dezembro de 2021 até esta terça-feira (4), dos pontos de abastecimento em distritos e bairros do Município. Esse relatório traz números de pessoas e famílias que, no momento, estão sendo abastecidas pela Defesa Civil Municipal. Os números tendem a aumentar por conta da demanda flutuante relativa à estiagem e ao período de temporada de veraneio no Balneário Passo do Verde. Dessa forma, até o presente momento, a Defesa Civil Municipal possui 57 pontos de abastecimento localizados entre nove distritos e quatro bairros, fornecendo água para 457 pessoas e 105 famílias, desde o início do mês de dezembro de 2021.

Distritos: 9

– Arroio Grande: 5 pontos / 51 pessoas / 13 famílias

– Passo do Verde: 13 pontos / 274 pessoas / 47 famílias

– São Valentim: 9 pontos / 26 pessoas / 9 famílias

– Santo Antão: 5 pontos / 14 pessoas / 6 famílias

– Boca do Monte: 2 pontos / 5 pessoas / 2 famílias

– Palma: 1 ponto / 6 pessoas / 1 família

– Pains: 4 pontos / 23 pessoas / 5 famílias

– Arroio do Só: 2 pontos / 4 pessoas / 2 famílias

– Santa Flora: 1 ponto / 4 pessoas / 1 família

Bairros: 4

– Camobi:12 pontos / 25 pessoas / 13 famílias

– Pé de Plátano: 1 ponto / 12 pessoas / 2 famílias

– Km 3: 1 ponto / 5 pessoas / 1 família

– Campestre do Menino Deus: 1 ponto / 8 pessoas / 3 famílias

Pedidos de entrega de água podem ser feitos pelos seguintes contatos:

DEFESA CIVIL MUNICIPAL

– (55) 3222-5192

– (55) 99110-7940 (WhatsApp)

ÁREA URBANA

Mesmo sem o risco de faltar água na área urbana de Santa Maria, a Corsan, concessionária que presta o serviço de abastecimento na cidade, reforça que deve haver uma conscientização de toda a sociedade. Por isso, a companhia lançou recentemente a campanha “Verão 360º”, que chama a atenção para a utilização da água com consciência e para a preservação do meio ambiente. Seguem algumas dicas para o uso racional do produto.

Com atitudes simples, você ajuda a evitar a falta de água:

– Não lave o carro com mangueira;

– Use somente a vassoura para limpar a calçada e o quintal;

– Não faça uso de grandes volumes, como em piscinas plásticas;

– Utilize regador para molhar as plantas nos horários de menor incidência de sol;

– Regule válvulas de descarga;

– Fique de olho em vazamentos e torneiras pingando;

– Coloque o máximo de roupas na máquina de lavar a cada lavagem

Fonte: Secretaria Extraordinária de Comunicação

Foto: João Vilnei/PMSM/Divulgação