Cidade

Em virtude da pandemia do coronavírus, a produção de sabão realizada por detentos de estabelecimentos prisionais do Rio Grande do Sul foi intensificada. É o caso da Penitenciária Estadual de Santa Maria (PESM), localizada no distrito de Santo Antão, onde existe um projeto de produção de sabão ecológico desde 2016.

Em função do surto, a produção aumentou para 300 barras por semana, quantidade que atende a todos apenados da penitenciária. Além disto, a produção de sabão gera economia para o Estado, aprendizado profissional aos apenados e também preservação ambiental em função do reaproveitamento de resíduos – a base é óleo de cozinha reutilizável.

Considerada uma estratégia de prevenção simples e de baixo custo, a utilização de sabão nas práticas de higiene é uma ação importante para obtenção de resultados benéficos para a saúde pública.

Projeto de produção de sabão na PESM existe desde 2016. Fotos: Susepe/Divulgação