A iniciativa da Prefeitura de entrega das Concessões de Direito Real de Uso (CDRUs) aos moradores do Bairro Nova Santa Marta, na Região Oeste de Santa Maria, teve continuidade nesta quarta-feira (15), no Centro de Artes e Esportes Unificados (CEU). Nesta segunda etapa, 440 residentes do Núcleo Central da Nova Santa Marta estão sendo chamados para receber a matrícula. Em três dias, 207 moradores já receberam o documento. A iniciativa segue até esta quinta-feira (16).

“A população merece esse carinho, que chega, mesmo em uma época tão difícil, em forma dessa regularização fundiária. Agradecemos aos moradores que acreditam no Poder Público e saem de suas casas tomando as devidas providências contra o coronavírus”, declarou o prefeito Jorge Pozzobom, que participa de todas as entregas das concessões, acompanhado do titular da Secretaria Extraordinária de Habitação, Marcelo Portella.

Em três dias, já foram entregues 207 documentos da regularização fundiária do bairro. Fotos: PMSM/Divulgação

O documento, entregue aos moradores das vilas Núcleo Central e 10 de Outubro, garante a posse de bens públicos imóveis a terceiros, uma espera de quase 30 anos por parte dos moradores do local que formaram aquele espaço. Ao final das próximas semanas, a Prefeitura terá entregue mais de 4,2 mil concessões.

Em função da pandemia de coronavírus, foram organizadas escalas de entrega dos documentos por ordem alfabética. Só entram no auditório do Centro as pessoas que têm o nome no documento. As demais aguardam do lado de fora, evitando aglomerações. Conforme o adjunto da Secretaria Extraordinária de Habitação, Wagner Bitencourt, caso o titular não consiga ir no dia marcado, poderá fazer a retirada do documento no dia seguinte, após as 15h.

A regularização fundiária do Bairro Nova Santa Marta é feita pelo Programa Municipal de Regularização Fundiária, da Secretaria Extraordinária de Habitação. Além da matrícula, também foram oportunizados projetos, obras e redes de água e de luz aos moradores da Região Oeste. A Nova Santa Marta conta com 136 ruas, além de áreas verdes, escolas, templos religiosos, comércio, associações, ONGs, entre outros, que formam as sete vilas daquela comunidade.

 

Fonte: assessoria de imprensa da PMSM